Quando um Bebê Passa a Enxergar Normalmente?

Quando um Bebê Passa a Enxergar Normalmente?
Ellen Cristie
Ellen Cristie8, Dezembro - 20205.4 minutos de leitura

Ao nascer, o bebê é capaz de detectar a luz e os movimentos e, logo em seguida, distinguir formas maiores e rostos. Ao longo do primeiro ano, sua visão melhora consideravelmente, mas já no fim do primeiro mês ele consegue fazer contato visual e focar em objetos a 30 centímetros de distância.

Passados 3 ou 4 meses de vida, o recém-nascido já distingue cores e foca em objetos menores. À medida que sua percepção de profundidade vai melhorando, ele é capaz de concentrar-se em objetos a até 1 metro de distância e observar atividades sendo desenvolvidas em seu entorno.

Nessa fase, é possível fazer o teste do rastreamento – habilidade em que o bebê consegue acompanhar com os olhos o barulho de um objeto – um pandeiro, por exemplo. Caso o bebê não observe objetos em movimento ou tenha problemas para mover um ou os dois olhos, leve-o ao médico, porque um exame forma de visão geralmente é feito mais tarde – entre 3 e 5 anos de idade.

Quanto tempo leva para o bebê ver?

Todo recém-nascido tem pouca acuidade visual. Ele só enxerga pessoas e objetos que estejam a uma distância de 20 a 30 centímetros, embora a estrutura biológica da visão esteja toda formada.

Outra característica da visão do recém-nascido é que ele tem dificuldade em controlar a movimentação dos olhos, o que faz com que alguns bebês sejam estrábicos (vesgos, na linguagem popular).

Apesar disso, o desenvolvimento da visão do bebê ocorre de forma rápida e gradual. Pode-se dizer que aos 8 meses os olhos de um recém-nascido estão devidamente treinados, sendo capazes de ver tão bem quanto um adulto, em termos de clareza e profundidade.

Desenvolvimento da visão do bebê

No fim dos primeiros três meses de vida, o bebê já consegue enxergar a uma distância de 50 centímetros. Antes disso, aos dois meses, já aprendem a focalizar os dois olhos simultaneamente, além de acompanhar um objetivo em movimento com o olhar.

No terceiro mês, já conseguem definir os contrastes das cores, mas preferem objetos de cores primárias e de tons mais fortes, como o verde e o vermelho.

Dos 4 aos 7 meses, os bebês começam a desenvolver a noção de profundidade, percebendo o que está perto ou longe. No dia a dia, ele consegue pegar objetos como brincos e óculos de quem o carrega.

Aos 5 meses, ele já reconhece um objeto mesmo tendo apenas a visão parcial dele. O bebê adora brincar de esconde-esconde. Nessa fase, ele também é capaz de diferenciar cores pastéis.

Aos 8 meses, a cor dos olhos já está definida, embora eles possam ter leves mudanças até os 3 anos.

Principais cuidados com a visão do bebê

O teste do olhinho ou do reflexo vermelho é o primeiro exame que envolve a visão do recém-nascido. Ele é simples, indolor e feito geralmente na maternidade. É um dos testes que constam da triagem neonatal – ao lado dos testes do pezinho e da orelhinha.

O teste do olhinho permite a avaliação da retina com uma luz emitida por um aparelho especial. A maioria das deficiências visuais podem ser corrigidas se forem detectadas cedo.

A partir desse teste, o médico consegue detectar problemas da visão, a exemplo da catarata congênita, retinoblastoma (câncer ocular que começa na parte posterior do olho, na retina, principalmente em crianças), glaucoma e traumas durante o parto.

Outra precaução é levá-lo ao oftalmologista para uma consulta de rotina, caso os pais percebam que os olhos do bebê ficam estrábicos durante a maior parte do tempo ou se ele tem dificuldade em seguir objetos. Caso ele não apresente nenhuma dificuldade quanto à visão, uma consulta com especialista pode aguardar até 3 ou 4 anos.

Como estimular a visão do bebê?

Mesmo que pareça ineficaz, conversar com seu filho bem de pertinho pode fazer com que ele veja e observe os traços do seu rosto. Conforme ele vai crescendo, o ideal é usar objetos e brinquedos coloridos, com formatos variados.

Além disso, faça movimentos movimentando-os horizontal e verticalmente para que ele acompanhe.

Como se vê, cuidar da visão do seu filho não é assim tão complexo. Basta que os pais sejam observadores e capazes de detectar alguma alteração na forma de o bebê enxergar.