Quando Introduzir a Papinha na Alimentação do Bebê?

Quando Introduzir a Papinha na Alimentação do Bebê?
Ellen Cristie
Ellen Cristie21, Janeiro - 2021

O aleitamento materno exclusivo deve ser mantido até os seis meses de vida do bebê, o que significa zero água, zero papinha, zero qualquer outro alimento, sucos ou chás.

A explicação se deve ao fato de que, seja por meio do leite da mãe ou de fórmulas infantis, o bebê recebe todos os nutrientes necessários até esse período, até mesmo a água para se hidratar. No caso das fórmulas, alguns especialistas sugerem dar água entre uma mamada e outra, mas não há consenso.

Após os seis meses, o bebê precisa de uma complementação ao leite, o que é feito com a introdução da papinha.

Como deve funcionar essa introdução da papinha?

Há várias formas de conduzir a introdução da papinha na alimentação do bebê. Uma estratégia bastante usada ocorre da seguinte maneira:

  • Na primeira semana, introduza uma papa de fruta pela manhã.
  • Na segunda semana, acrescente uma papa de fruta à tarde.
  • Na terceira semana, inclua os alimentos salgados no almoço e continue com as papinhas de frutas nos intervalos.
  • Na quarta semana, introduz os alimentos no jantar.

Por que alimentar o bebê com comida antes de seis meses é prejudicial?

Introduzir a comida no dia a dia do bebê antes de seis meses de vida pode interromper o aleitamento exclusivo, reduzindo sua proteção imunológica, como, por exemplo, contra problemas como a asma.

Além disso, o sistema digestivo do bebê fica maduro somente aos seis meses, assim como a mastigação e os movimentos de deglutição para engolir a comida, com menor risco de a criança engasgar.

Aos seis meses, ele também quase não “cospe” a comida, com o fim do reflexo de protrusão da língua, comum nessa fase. E também já consegue levar a comida à boca com as mãos, sentando-se sem precisar de apoio nas costas.

Comece com os seguintes alimentos

Para as papinhas salgadas, opte por legumes mais doces, como batata doce, cenoura e abóbora. Além de serem de mais fácil assimilação, o paladar dos bebês é mais receptivo a esse tipo de legumes.

No caso das frutas, ofereça papinhas de pêra, mamão, banana e abacate. Não se assuste se o bebê recusar alguma dessas ou simplesmente gostar somente de uma. É totalmente normal.

Evite os seguintes alimentos

Dicas importantes

  • No primeiro mês, faça purês de um só alimento. É importante que o bebê conheça um sabor de cada vez e seja possível identificar possíveis alergias ou reações.
  • A papinha não deve ser peneirada, nem liquidificada. É fundamental que ela seja amassada para que sejam aproveitadas as fibras dos alimentos.
  • A carne deve ser sempre picada em pedacinhos minúsculos, cozida e amassada, ou desfiada. Uma outra opção é deixá-la grande para que o bebê chupe.
  • À medida que o bebê vai crescendo, é recomendável aumentar a consistência da papinha para que, quando tiver um ano de idade, ele consiga mastigar.
  • A papinha do bebê deve ser feita com água filtrada e os legumes devem ser lavados e descascados.
  • Evite misturar alimentos crus com outros cozidos para não haver possibilidade de contaminação.
  • Um fio de azeite de oliva pode ser acrescentado à papinha para ajudar no processo de digestão.
  • Lembre-se de acrescentar água ao cardápio do bebê.

Fique atento às alergias

Morango e kiwi são frutas que devem ser oferecidas somente após o primeiro ano de vida devido ao seu alto teor alergênico. Outros relatos incluem melão e pêssego. Há ainda maçã, manga, laranja, cereja e abacaxi, que podem vir a dar alergia, mas com menor incidência.

Para evitar alergias, os pais devem ficar atentos a sintomas como vermelhidão na pele, gases, vômito, coceira na garganta, cólica, dificuldade para respirar, inchaço nos lábios, diarreia etc.

Enfim, as papinhas têm um papel fundamental na introdução de legumes, frutas e verduras na alimentação do bebê. É importante que ele prove vários itens para que assimile gostos e texturas de cada um.

Quanto maior a diversidade de sabores a serem apresentados ao bebê, maiores são as chances de ele gostar desses alimentos no futuro.