Mitos e Verdades Sobre a Gravidez

Mitos e Verdades Sobre a Gravidez
Ellen Cristie
Ellen Cristie18, Janeiro - 2021

Sabe quando você fica exposta a um excesso de informações e não sabe realmente o que é verdade e o que não é? É assim sobre diversos assuntos e porque não sobre a gravidez também.

Há diversos temas que, se avaliados a fundo, não passam de “superstições”, teorias mirabolantes ou inverdades. Outros realmente são verdadeiros. Mas como a gravidez é um momento em que as emoções ficam à flor da pele, é normal ter dificuldade em saber o que é verdade, o que é meio verdade e o que não é verdade.

Para ajudá-la a não transformar essas polêmicas em fonte de angústia, fizemos uma lista com os principais mitos e verdades sobre a gravidez. Vamos a eles:

O primeiro trimestre da gravidez é o mais complexo

Nessa fase ocorre a formação dos órgãos do feto, portanto, há maior risco de doenças relativas a alterações genéticas. Nesse período, também deve-se evitar bebidas alcoólicas, determinadas medicações, exames de imagem etc.

Entre 10% e 15% das mulheres sofrem aborto espontâneo até a 12ª semana de gestação – geralmente em decorrência de malformações do embrião. Por isso a importância dessa fase.

Barriga redonda significa que o bebê é uma menina, barriga pontuda é um menino

Não há nenhuma comprovação científica de que isso ocorra. A barriga cresce de acordo com a anatomia e genética da gestante, sem nenhuma influência com o sexo do bebê.

A barriga da mulher tem uma capacidade de distensão específica e a pelve feminina permite o ajuste do crescimento do útero dentro da cavidade abdominal.

A gestante não deve fazer atividade física

A atividade física também combina com gravidez. É claro que o tipo de exercício que a gestante deve fazer tem relação com o fato de ela estar grávida e do histórico de atividades físicas dela. Uma mulher sedentária, por exemplo, terá que respeitar um ritmo diferente de alguma gestante que faz atividade física desde sempre.

O momento não é adequado para corridas, mas caso a mulher esteja livre de intercorrências e acostumada a treinar, ela poderá continuar com sua rotina, respeitando sua situação “peculiar”.

O ideal é evitar riscos com atividades que permitem choques ou quedas ou ainda que elevem os batimentos cardíacos em mais de 90%, porque pode comprometer o fluxo sanguíneo para o bebê durante a prática física.

Grávidas sentem mais calor

As ondas de calor e de suor que as grávidas sentem são decorrentes do aumento do estrogênio, um hormônio que contribui para a dilatação dos vasos sanguíneos e, consequentemente, a temperatura corporal durante a gravidez.

O aumento da temperatura do corpo é de cerca de meio grau, o que faz com que a gestante sinta mais calor e transpire mais. É por isso que, às vezes, especialmente no verão, as grávidas têm queda de pressão, aumento da frequência cardíaca, rinite e obstrução nasal.