O Que é Uma Gravidez de Alto Risco?

O Que é Uma Gravidez de Alto Risco?
Ellen Cristie
Ellen Cristie16, Dezembro - 20205.5 minutos de leitura

Muitas vezes ouvimos: “A gravidez dela é de alto risco”, “O médico disse que minha gravidez é de alto risco. E agora?” Bem, caso isso ocorra, você vai precisar tomar alguns cuidados com sua gestação para que ela seja tranquila e sem intercorrências.

Uma gravidez de alto risco significa que a gestante ou o bebê ou ainda os dois juntos poderão ter algum problema durante a gestação, no parto ou após o parto. Embora possam ser problemas de fácil resolução, em alguns casos essa situação pode ser fatal para a futura mãe ou para o bebê.

Após receber esse diagnóstico pelo médico, tente ficar tranquila, escute todas as recomendações do especialista e cuide-se até o bebê chegar. Ficar nervosa pode somente piorar a situação. Veja como reconhecer que sua gravidez é de risco.

O que fazer após o diagnóstico?

Tenha uma conversa franca com seu médico e tente esclarecer todas as dúvidas iniciais que surgirem, como prevenir ou lidar com os problemas. Posteriormente, ponha seu marido a par da situação.

Crie uma rede de apoio, que pode contar com seu parceiro, familiares e amigos mais próximos. Tente conhecer outras mulheres na mesma situação, para que você se sinta acolhida por pessoas que estão passando pelo mesmo que você.

Mesmo que você ouça ou leia sobre complicações graves que podem afetar sua gravidez, a rede de apoio será essencial para que você se fortaleça.

Mas quais fatores levam a uma gravidez de risco?

Muitos são os fatores que contribuem para uma gravidez de alto risco. Em alguns casos, a gestante pode trazer consigo um histórico de problemas em gravidez anterior. Doenças crônicas, doenças sanguíneas (falciforme ou talassemia), doença renal crônica, depressão, pressão alta, Aids, lúpus, idade da mãe, obesidade, diabetes, doença da tireoide, álcool, cigarros e outras substâncias ilícitas.

Há ainda outras complicações como pré-eclâmpsia, descolamento prematuro da placenta, deficiências genéticas, diabetes gestacional, problemas de crescimento, nascimentos múltiplos (gêmeos, trigêmeos, quadrigêmeos etc.), entre outros.

O que muda na vida de uma grávida de alto risco

A principal mudança na vida de uma gestante de alto risco é a rotina de consultas e exames. Além de um maior número de consultas pré-natais, geralmente a paciente é monitorada mais de perto pelo médico de sua escolha.

Por indicação desse médico, talvez você seja encaminhada a um especialista de medicina materno-fetal, treinado especificamente para cuidar de mulheres com gravidez de alto risco. Outros cuidados dependerão de seu estado geral e do bebê.

Por que a gravidez de alto risco afeta o parto

As gestantes de alto risco geralmente não têm a opção de fazer, por exemplo, um parto humanizado ou de gerar o filho em um centro de parto.

Essa paciente requer cuidados especiais, portanto é encaminhada a uma maternidade (hospital) onde ela e o bebê podem ser monitorados, com equipamentos específicos para que qualquer adversidade seja controlada.

No caso de uma gravidez de múltiplos, por exemplo, o trabalho de parto geralmente ocorre mais cedo, podendo ser até prematuro. Outras condições médicas que precisam de uma sala preparada para tal envolvem excesso de líquido amniótico, a necessidade de uma cesariana ou indução do parto.