5 Coisas Que Você Não Sabia Sobre Recém-Nascidos

5 Coisas Que Você Não Sabia Sobre Recém-Nascidos
Ellen Cristie
Ellen Cristie11, Dezembro - 2020

São 9 meses de espera. Você acalenta esse sonho e, finalmente, ele está ali, em seus braços, prontinho para ser amado! Os bebês nos ensinam muito e são um desafio para mães e pais, especialmente aqueles de primeira viagem.

Mas como tudo na vida, a sabedoria vem junto com as nossas ações e a medida que evoluímos, vamos aprendendo com nossos filhos e eles com a gente.

Por isso, listamos cinco curiosidades que talvez você não saiba sobre os bebês…ou até saiba, mas nunca se atentou para elas. Vamos ver?

Os recém-nascidos são engraçados

A pele é diferente, a cabeça um pouco grande e os membros são bem fininhos. Os recém-nascidos passam por um processo peculiar ao nascerem – a moldagem na jornada pelo canal do parto – que pode resultar em feições comprimidas. No parto normal, a cabeça do bebê tem a forma de cone. No caso dos partos cesáreos, geralmente o bebê nasce com a cabeça mais arredondada.

A pele mais mole se deve ao fato de que, como o bebê “morou” em um líquido por nove meses, ele não teve o tônus muscular desenvolvido. Por isso, os traços faciais são mais “frouxos”.

Já os bebês prematuros, são mais propensos a apresentar um cabelo fininho e felpudo em certas partes do corpo – como costas, testa, orelhas. Esses pelos são chamados de lanugo. Eles caem em questão de poucas semanas ou meses após o nascimento.

Bebês podem ser “explosivos”

O termo “explosivo” aqui refere-se a momentos que podem ser bem divertidos se os pais tiverem bom humor. Quem já não vivenciou ou ouviu de outro adulto que um “jato” de xixi foi direto no rosto da mãe, na hora de trocar a fralda, ou que o bebê “regurgitou” na roupa nova do papai?

Segundo os especialistas, os recém-nascidos têm um músculo minúsculo, que serve como válvula entre o esôfago e o estômago. Por ser imaturo ainda, é normal que, de vez em quando, a comida retorne. Por isso, pôr o bebê para arrotar e mantê-lo de pé após comer é tão importante.

O mesmo ocorre com o cocô. O melhor a se fazer é andar sempre prevenida com uma muda de roupa e manter o bom humor.

Bebês consomem tempo demais

Sua vida estava organizada. Você conseguia desempenhar bem suas funções de esposa, de funcionária, de amiga e tantas outras funções. De repente, um vendaval: trocar fraldas, amamentar, balançar, pôr para arrotar, lavar roupa, enfim, uma série de outras funções a cumprir.

Arrumar tempo para si mesma? Já tentou. Talvez este seja um dos maiores desafios da maternidade. Sair de casa é outra luta. É tanta coisa para organizar até estar realmente pronta que, muitas vezes, não vale o esforço.

A boa notícia é que à medida que você vai ganhando experiência, o tempo parece aumentar. Pelo menos um pouco. Se antes você gastava até 10 minutos para trocar a fralda do bebê, com o tempo, você consegue até falar ao telefone e trocar a fralda com destreza.

A união entre vocês segue seu próprio cronograma

Enquanto que algumas mães e pais relatam um amor incondicional por seus filhos assim que eles chegam ao mundo, outros casais dizem que não se apaixonaram instantaneamente por seus filhos.

A exemplo da gravidez, do parto e do nascimento do bebê, esse vínculo entre pais e filhos varia. Não há uma fórmula mágica, dizendo o que é certo e o que é errado.

E não se culpe se, de vez em quando, você se pegar marcando para ir ao salão sem seu (sua) filho (a), porque realmente sentiu necessidade de ter um tempinho para você. Ao se sentir menos sobrecarregada, o vínculo surge com mais facilidade.

Caso esse sentimento de vínculo não se efetive em algumas semanas, procure seu médico. A depressão pós-parto é muito comum, mas tem tratamento.